Engajamento virtual e produtividade em tempos de home office
As empresas deverão se inspirar em tendências na gestão de pessoas para enfrentar novos desafios do futuro do trabalho.
 
   Em pesquisa realizada pelo Estudo Global de Tendências de Talentos 2020 da Mercer, em 2019, com 7.300 executivos sênior de negócios, líderes de RH e funcionários de nove setores-chave, em 34 países, identificou-se quatro fortes tendências para o ano de 2020, em decorrência da crise e da necessidade de mudança nas relações de trabalho.

- Foco no futuro
   Cada vez mais, as pessoas estão atentas para o preparo e responsabilidade das empresas com o futuro. Para 68% dos executivos, que participaram da pesquisa, a concentração dos esforços está em alcançar metas ambientais, sociais e de governança (ESG).

- Corrida para requalificação
   Cursos e treinamentos para aprender sobre recursos tecnológicos e comportamentos digitais, como gestão de equipes remotas e comunicação virtual, vivaram prioridade.

- Mais ciência
   O distanciamento do escritório criou a demanda por dados para identificar problemas e solucioná-los rapidamente. Com o aumento do uso de inteligência artificial, na área de pessoas, as decisões podem se basear menos na intuição e mais em dados concretos, como por exemplo, o impacto das estratégias de remuneração no desempenho profissional.

- Experiência e engajamento
   A pesquisa mostra que a experiência do funcionário é a principal prioridade do RH, 58% das organizações pesquisadas estão passando por mudanças para se tornarem mais centradas nas pessoas. A especialista da Mercer comenta que funcionários de empresas, que focam em saúde e bem-estar, têm quatro vezes mais chance de se sentirem motivados com o trabalho.

   De acordo com a líder da área de estratégia de talentos da Mercer no Brasil, Ana Laura Andrade, as organizações vão precisar de empatia para vencer a crise e qualquer outro cenário desafiador, o trabalho remoto é apenas o começo, segundo Ana Laura, “o que as empresas não fizeram em cinco anos, fizeram nas últimas cinco semanas”. (Fonte: Revista Exame)


Autora:
Profa. Dra. Otávia Sala
Docente 
Fatec Sertãozinho