Liderança e competências socioemocinais
 

Liderar equipes não é um exercício simples e não se baseia em um exclusivo método.

William Mouton Marston, psicólogo norte americano, escreveu em 1928 a obra “The emotion of normal people”, na qual destaca que todo ser humano tem características socioemocionais que o determinam a proatividade para tarefas (dominância), proatividade para pessoas (influência), receptividade para pessoas (estabilidade) e receptividade para tarefas (conformidade).

Equipes de alta performance geralmente mesclam tais características socioemocionais, sendo que o vetor resultante pode apontar ao líder os fatores motivacionais e outros altamente reativos.

A dominância geralmente está relacionada a poder, autoridade, dinheiro, bens materiais, competitividade, alcance de desafios e atingimento de resultados mensuráveis.

A influência, por sua vez, conecta e promove interação entre pessoas, atraindo a atenção e a confiança.

Pessoas com elevada conformidade gostam de possuir toda informação, necessitam de tempo e de regras claras para fazer tudo com perfeição.

Já a característica estabilidade é comum a pessoas que performam com consistência e qualidade, necessitando de ambiente harmônico e agradável, além de preconizarem pela segurança no ambiente de trabalho.

Estimulados, todos expressamos tais condições, sendo que as características variam em expressão de acordo com o ambiente no qual possamos nos encontrar, seja natural (estado de relaxamento, em casa), exposto ao estresse (condição adversa ou aversiva) ou em condições de trabalho (ambiente do trabalho).

O líder precisa compatibilizar tarefas e pessoas, maximizando os resultados de sua equipe pela busca de fatores motivacionais, no âmbito das características socioemocionais individuais e resultantes do grupo, minimizando estímulos conflitantes, buscando adaptação e performance em cada cenário de gestão.

Autor: 
Professor Dr. Fernando Frachone Neves
Coordenador do Curso de Tecnologia em Gestão Empresarial
Fatec Sertãozinho