Lubrificação de Motores Elétricos

Setores das indústrias, dos mais variados, todos utilizam de algum ou vários modelos de motores elétricos. E, proporcional a sua utilização, está a necessidade de correta manutenção e lubrificação.

Segundo a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), a indústria brasileira consome cerca de 43% de toda a energia elétrica produzida no Brasil e os motores elétricos consomem 68% dessa energia. Ou seja, 30% de toda energia elétrica é destinada ao funcionamento de motores elétricos no Brasil.

E como funciona essa manutenção preventiva dos motores elétricos?

Podemos dividi-la nas seguintes fases:

1 - Limpeza - devido a diversidade de operações, os motores elétricos devem ser constantemente limpos, evitando contaminação e superaquecimento;
2 - Lubrificação - A vida útil do motor elétrico está ligada a lubrificação correta e os tipos de graxa corretos;
3 - Intervalos de relubrificação - Os intervalos deverão ser observados na placa do motor ou no manual, e encurtados devido a severidade das operações;
4 - Quantidade e tipo de graxa - Também estão especificados na placa de identificação;
5 - Substituição de rolamentos - Devem ser substituídos por profissionais qualificados e no prazo determinado de sua vida útil.

 
           Figura 1: Motores elétricos avariados e causa da falhas é a lubrificação em demasia

A principal função da lubrificação de um motor elétrico é prolongar a vida útil do sistema de mancais. Normalmente é utilizado rolamentos de esferas ou de rolos nos mancais.

O excesso ou a falta de lubrificação são igualmente prejudiciais em qualquer sistema, mas em mancais de rolamentos podemos observar o problema mais comum: o aquecimento. Também poderá ocorrer perda de estabilidade mecânica e consequentemente a quebra.

Para motores elétricos, a temperatura ideal de operação é de 40ºC, o que dá a rolamentos, geralmente 3 a 4 anos de vida útil, porém a cada 10ºC de aumento dessa temperatura, haverá proporcionalmente a perda de aproximadamente 50% da vida útil desse rolamento.

A lubrificação dos rolamentos é feita geralmente com graxa mineral, e quando as temperaturas de operação forem elevadas (de 120ºC a 150ºC) ou as velocidades de rotação forem acima de 1800 rpm, usa-se óleo mineral para a lubrificação.

Os defeitos mais comuns provenientes da falta ou excesso de lubrificação são: aquecimento dos mancais, aumento da corrente devido ao maior esforço de rolamentos danificados, sobreaquecimento do motor, alto nível de ruído, vibrações excessivas e até queima da bobina auxiliar ou de partida devido ao acúmulo de graxa entre a carcaça e a bobina.

Lembre-se: o excesso de graxa tem sua causa 100% humana.

Faça um diagnóstico da sua lubrificação.

Professor Me. João Paulo Sachetto
Manutenção Industrial

Fatec Sertãozinho