“Tá tudo Robotizado”
 
Em tempos de pandemia (acho que essa expressão está sendo usada em todos os textos...) observamos, de alguma forma, uma evolução muito rápida nos meios de comunicação e na tendência de trabalho, com a prática do Home Office.

Então se fala na Indústria 4.0, e que poderíamos estar pulando para a Revolução 5.0. Esses conceitos tratam da automação e da inteligência artificial, e como isso começará (ou já começou) a mudar as relações de produção e trabalho.

E caros leitores, isso também está atingindo o mundo dos investimentos. Pois é, antes não tínhamos tempo ou conhecimento e delegávamos essa tarefa ao gerente do banco (ou da sua conta). Hoje são tantas opções, que até nos perdemos.

Com o avançar do tempo, novos instrumentos financeiros foram criados, e hoje temos uma infinidade de opções para escolher, destacando-se, talvez, dois grandes grupos: renda fixa e renda variável.

Em tempos de pandemia (de novo!) observamos que até a renda fixa variou...pois é, e nossa cabeça vai ficando cada vez mais confusa. E o tempo cada vez mais escasso...
Há alguns poucos anos surgiram fundos “geridos” por robôs, principalmente no mercado norte-americano, com bom grau de retorno em suas operações. Logicamente a palavra final ainda não é da máquina, mas os processos estão sendo automatizados visando buscar melhores rentabilidades aos investidores.

A pergunta que fica é: além do nosso trabalho, as máquinas irão ficar com nossos parcos recursos?

Caberá a nós a decisão de trabalharmos ao lado das novas tecnologias, criando competências, e pensar se, quando sobrar um dinheirinho, o que fazer com ele: gastar ou poupar. E quando poupar, investir por si só, ou por um terceiro, que poderá ser uma máquina. Você confia? “Tá tudo robotizado”.
 
Prof. Me. Leandro Vila Torres
Coordenador GTCC